domingo, 14 de outubro de 2012

Feliz ano novo


Já posso ouvir os sinos batendo, as pessoas chegando do mundo afora, enchendo a minha sala, o clima mudando. Pisquei e o ano passou, voando, rápido como um filme acelerado, nem percebi. Hoje eu percebo o quanto eu vivi nesses últimos doze meses, e o tanto que andei. Andei até cansar, andei sem cansar. E hoje tá tudo diferente por aqui.

Na verdade, faz um tempo que o clima dessa terra vem mudando depressa. As pessoas lotam o comércio, os shopping centers, atrás de presentes e roupas novas, porque festas como essa não acontecem todo mês. É um mundo aqui dentro, que enfeita as casas, com cores e muitas luzes. Aliás, quanta luz! Andar por aqui é dar um respiro de alegria aos olhos, que se perdem em tanta profusão cromática. Cores, muitas, todas.

Nas praças, minilâmpadas já dão o tom. Na minha cozinha, mesa farta. É um daqueles dias em que o melhor lugar pra ficar é onde tem comida. Alimento para os olhos, para o corpo e para os ouvidos. Cânticos clássicos no rádio, e todos lembram de quando eram crianças e ouviam, cantarolando, os versos da canção. Exaltação.

Todos ali, em volta da sala, conversando sobre o tempo que passou ligeiro. Como ele cresceu! Tá namorando? Que saudade do meu sobrinho! Todos ali, esperando a hora chegar. Todos ali, numa contagem regressiva. Expectativa, ansiedade, gratidão. Já que o ano está pra acabar, é hora de parar um pouco, fechar os olhos, olhar pra trás e agradecer.

Pelas vitórias, pelas surpresas boas, por cada sim, até mesmo por cada não, muito obrigado. Pela chance de andar todos os dias, pela oportunidade de abraçar, de beijar quem eu amo, de fazer o que gosto, muito obrigado. Por um tempo de paz, por mais comida na mesa, por comida na mesa e dignidade na carteira. Por mais doze meses.

E esses fogos que já estouram no céu? E essa chuva de papel picado? São os sinos pequeninos de Belém batendo forte, bradando alto, chamando todos a comemorar. Desafetos que se abraçam, problemas que se resolvem. É hora de esperar o que virá, é hora de renovar a esperança, os pedidos, as desculpas, a gratidão. Amanhã é outro dia, outro tempo, outra história. Já é hora de esperar o próximo encontro.

Feliz ano novo.



FOTO: Gustavo Ferreira

3 comentários:

Babi Leão disse...

Lindo!
Esse momento significa muito pra todos nós!
Feliz Círio!

Antonio Anderson disse...

Lindo demais. Caprichaste no texto, garoto. Meus parabéns!!!
E olha só, um ótimo Círio, muitas comemorações e harmonia pra ti e tua família. Feliz ano novo! hehehehe

Também dei uma escrividinha sobre ele:
http://antonioandersonpsi.blogspot.com/2012/10/e-cirio-de-novo-e-cirio-vida-toda.html

Newton Corrêa disse...

De fato, o Círio é um ótimo momento para olhar pra trás, refletir e agradecer.
Ser paraense tem suas vantagens, aqui é uma terra abençoada! Com um Natal em outubro e outro em dezembro :)