sexta-feira, 6 de julho de 2012

Seleção natural


Sete bilhões e você, uma ilha. Para que seja ilha, é preciso água em volta, é preciso alguém em volta. Bom, aquele pedaço de terra não pode escolher onde fica, nem quem a cerca. Você, pedaço de terra, você pode? Talvez seja fácil demais, talvez seja simplesmente impossível. Entrando em um consenso, pensemos assim: seleção natural.

Natural, no sentido “não temos escolha” mesmo. A começar lá do começo, na guerrinha da fertilização, onde você saiu como o vencedor, entre outros milhões. Vencedor de quê? Pergunta se a mulher que te gerou pensou exatamente em você. Pula uns anos e chega na escola. Turma imensa, mais de cinquenta pequenos aprendizes, e de repente, zás! Você conquistou parceiros de uma vida toda, aqueles chamados “amigos de infância”. Para e pensa nos motivos possíveis dessas uniões.

Difícil encontrar. Sabe por quê? Porque a gente não sabe quais são, e isso não é tentativa de fugir da arrogância, que todos semeamos em si. É fato. Elencar nossas qualidades é tão arcaico. Vai que nossos amigos são nossos amigos justamente pelos defeitos! Acontece. É o caso de pessoas que vivem se perguntando “por que diabos ela gosta de mim?”. Vai saber. Talvez nem a outra pessoa saiba.

De repente, amigos, namorados, noivos, pais de uma criança. Amores que surgem de sabe Deus o quê. Sim, é verdade que nós podemos apontar pessoas que combinam com a gente, e que essas podem corresponder. Mas quem garante? Nós mal mandamos nos nossos instintos e nas nossas vontades, quanto mais em afinidades. Quando correspondem, é incrível, e é depois do laço ficar mais forte, geralmente, que vão se procurar motivos. Aí eles já não importam muito.

Quantas pessoas cabem em você, pequena ilha? Seja escolher quem deve entrar, seja escolher quem merece se afogar, nem tudo depende de nós, e nem sempre a obrigação de se afastar corresponde à falta de apreço. Pode ser necessidade. A vida ensina que nem sempre aprendemos todas as coisas, muito menos o que diz respeito a nós mesmos. Se está com você, tem que estar. Se não está, paciência. Tudo é questão de seleção. 


IMAGEM: http://www.meuprontuario.net/prontuario-medico/images/stories/Escolha.jpg

Um comentário:

Thaís disse...

Um texto para se ler em voz alta e acordar vizinhos.