sexta-feira, 18 de maio de 2012

Conotações




O que teus olhos me dizem? Esses olhos fugidios, vagos e inebriantes, de um verde brilhante, onde um mortal se perde com um raio cruzado apenas. Olhos, corpo, signo confuso e conotado, cuja significação enigmática enlouquece o mais são, o mais resistente aos seus encantos venenosos.

Eu vejo beleza, um conjunto de notas, sinfonia. Forte, eu vejo um corpo, união de curvas e retas sinuosas, corajosas, sacanas. Em cada traço, seu viço e composição envolvem os sentidos, destrói a percepção e acaba com a inocência. Ser teu refém é inerente a nós. Encontro em tua silhueta a calmaria de uma tempestade, caudalosa, cruel. És cruel, ao me deixar rendido, sem salvação, condenado à prisão perpétua entre seus quadris.

Eu vejo mistério, nada em tudo, tudo flutua neste mar caudaloso e sedutor. Não sei o que me espera, nem onde vou parar, mas continuo a te ver, cego de curiosidade, intrigado e aflito. Nervoso, até irritado, eu busco te desvendar, mas que graça teria? Conhecer uma mulher, se fosse possível, não o seria. Eu vejo sombras e, em meio a elas, uma forte luz, uma luz chamada você. Ilumina meu caminho. Que caminho?

Eu vejo doçura, a doçura de uma jovem aprendiz de menina, quando corre pela relva, singrando caminhos pelas ruas de flores. Vejo uma pequena flor. Quando maior, mais elegante. Uma sedução do tipo ninfeta, produto de uma imaginação misturada com tantas imagens tentadoras. É pureza, é perdição.

Eu vejo amor. Eu sinto amor. Eu faço amor, com meus olhos embebidos, minha carne suada e desequilibrada. Proteção, protegido, protetora. És meu guia mais clichê, minha estrela, meu Iaiá, ioiô... Besta, eu me rendo. Certo, eu te espero. Louco, eu me declaro. Eu te amo. Não te conheço, mas sei que meu coração já tem uma dona.

Eu vejo o que meu dia combina. Se meu humor não consegue definir o amanhã, que assim seja. Significo a luz do sol, sem conhecer a luz da lua. Sou hoje, você também. Decifrar teus olhos em um signo seria loucura, burrice ou simples perda de tempo. Conjecturas, eu sei. Gosto de te imaginar, ver tua visão e sempre descobrir uma nova mulher. Sem denotações, todas em uma só.

IMAGEM: http://4.bp.blogspot.com/-QvQY2ACW9F0/TcP_MqiEF8I/AAAAAAAAAHY/iLyyFhgQkUc/s1600/o_olhar_uma_mulher.jpg

Um comentário:

Thaís disse...

meu iaiá, ioiô... <3