segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Doze


|||

“Fim? É isso mesmo que devo esperar em 2012?! Há tanta coisa a ser feita... ainda não me formei, não casei nem tive meus filhos e ainda não fui ao show do Red Hot Chili Peppers! O mundo não pode simplesmente acabar, não é justo com nós, jovens, que não vivemos nem metade daquilo que sonhamos. Nesse ano me permitirei mais, direi mais eu te amo, desculpa e foda-se (porque ninguém é de ferro). E assim viverei esse ano, na esperança que não acabe a minha vida antes que possa realmente começar.”

Dinazilda Silva,20.

“’A amizade é quando dois corpos dividem a mesma alma" ou assim uma vez me ensinaram. Mas esta eu acho que é uma definição meio vaga. Não sei se quero um amigo que tenha a mesma alma que eu. Quero um amigo que me brigue, que seja sincero, que me avise quando eu estiver errado, que esteja lá para mim e que tenha a sua própria personalidade. É por isto que amamos nossos amigos. Amamos por que eles são ousados e irmão. São criativos e diferentes. Se são de verdade, são para sempre. E admita: o que seria da gente sem essa família que podemos escolher?”

Ana Carolina Souza, 21.

“Quem sabe a paz faça parte do fim, quem sabe o que mais buscamos esteja justamente no lugar que mais tememos chegar, quem sabe seja tudo um sonho e vamos acordar em um novo tempo, em uma nova vida e ela vai estar lá. Ou quem sabe seja só ilusão. De qualquer maneira, nós a esperamos. Sim, quem sabe neste novo ano ela nos presenteie com sua alva presença em cada ato, em cada palavra, em cada abraço.”

Thaís Siqueira, 21.

“Como sugeriu Paulinho Moska na música O Último Dia, em 2012 eu espero reunir meus amigos na minha sala - que torço para que nunca esteja vazia.  Aos amigos que não moram mais por perto, espero que os raros e rápidos encontros sejam ainda mais divertidos e memoráveis e que eu nunca me esqueça dos amigos que há anos fazem do meu mundo um lugar melhor. Que os novos encontros sejam em 2012 tão bons ou ainda melhores que em 2011, cheio de pessoas com brilho próprio, com vontade de viver e de me fazer rir. Porque se o mundo realmente acabar em 2012, quero ter a certeza de que encontrei quem eu gostaria, sem ter saudade do que eu nunca tive.”

Mariana Almeida, 22.

“Mais um ano bate em nossas portas, e com ele além da mudança no calendário, também se renovam nossas expectativas para tudo o que almejamos. E por mais difícil que tenha sido o ano anterior, não deixamos de ter fé. Não deixamos de acreditar que coisas boas virão e que elas conseguirão apagar as más que passaram. Mas se por algum motivo perdestes tuas esperanças, renove-as, pois talvez essa seja tua última oportunidade de fazer um pedido.”

Amanda Campelo, 17.

“Pensamos que a família é apenas aquele grupo de pessoas com o qual temos alguma relação de parentesco, mas não, ainda existem alguns seres que também são nossa família. Aquelas pessoas que estudam conosco também são. Aquelas que começamos cumprimentando com ‘oi’, depois com ‘olá, colega’, e ‘fala, amigo’, até chegarmos ao mais alto grau e dissermos ‘Bom dia, Filho da p*ta’ (Não estou usando palavrão, pois não estou em casa e devo ter bons modos...) esses malucos que amamos, também são ‘parentes’. Pensei que esse ano não acharia pessoas assim, mas achei. Que bom. Hoje, não me imagino mais sem eles. Esses 4 anos (que já são 3) vão passar muito rápido e temos que aproveitar os nossos amigos, ou seja, a nossa nova família.

Carlos Fernando Pinheiro, 18.

“366 quilômetros rumo a algum lugar distante. Haverá tantas pedras no caminho, que mais parecerá uma construção civil. Mas é isso que este longo percurso é, uma construção. Esta que permite erros, risos, acertos, comemorações. Um metro de cada vez, um centímetro fazendo a diferença. Apertos de mãos, mágoas deixadas para trás. Pensando não mais no que passou, e sim no que virá. Pensando alto, pensando longe. Não tendo esperanças de que um dia a vida será boa, mas confirmando que todos os milímetros andados até aqui valeram cada gota de lágrima e de suor. E em um futuro próximo ou distante, tanto faz, chegando ao tão sonhado destino. Destino inventado e feliz, acima de tudo.”

Camila Miranda, 17.

“Vai acabar, né? Temos 366 dias e o dever de fazer com que eles sejam os melhores de nossas vidas. 2012 chegou, mas não como todos os outros anos que vieram e se foram, ele é especial por ser o último. Então, nada de guardar rancores e mágoas, eles ocupam muito espaço no coração e fazem com que o amor fique do lado de fora. Nada de guardar lembranças tristes, elas ocupam muito espaço na memória e ofuscam o brilho que a alegria traz. A palavra de ordem em 2012 é diversão! Seja como for, com quem for, onde for, o que importa, de fato, é estar bem e feliz com você e com os outros. Eu tô pronta pra começar, e você?”

Raíssa Bahia, 20.


 “Eles dizem que vai acabar. Mas eu não me importo com o fim. Eu me preocupo mais com o que não vou ter, com o que vai me fazer falta. Quero que tudo vá para um mesmo lugar, no fim – se é que vamos pra algum lugar depois dessa vida. Eu quero poder ter medo de sentir saudades do que é meu, do que me pertence. Eu me apego de tal forma que dói ver partir, não ter mais. E se realmente acabar, a saudade vai ser o pior sentimento de todos, mesmo que eu não vá sentir mais nada depois que tudo isso acabar.”

Renan Mendes, 18.

“É o último ano, segundo dizem. Sim, desta vez não haverá sucessores. Assustado? Não fique. Um dia veríamos o fim mesmo. Ao invés de se preocupar, concentre suas energias em fazer algo realmente válido: Amar. Sim, esse é o momento perfeito para abrir mão de seus temores e opiniões tolas sobre o amor e, enfim, conhecê-lo. Se você já o conhece, estreite seus laços com ele. Ame mais, seja amado. Não ligue para o que vão dizer, apenas ame. Afinal, o que você tem a perder? Se este for de fato o último dos anos, terás o orgulho de dizer que amou enquanto havia tempo. E se não for, poderás amar sem se preocupar com o tempo. Ame, pois a vida pode ser breve, mas o amor é eterno.”

Robson Heleno, 21.

“E agora? O que vai ser de mim? Que lutei a vida inteira por esse sonho que será interrompido antes mesmo que eu possa aproveitá-lo. Depois de tanto fraquejar e não desistir, depois de vencer todas aquelas batalhas, ter de abrir mão de tudo o que mais desejei. Não é certo! O que me reconforta é saber que o fim está próximo, não só para mim. Egoísmo né? Eu sei, eu sou assim. Vendo por esse lado parece tudo mais correto, mais justo...”

Rhuanne Pereira, 20.

“Há muitos desesperados por aí, gritando como loucos e revelando segredos de uma vida inteira, por achar que esta é a última linha da última página da História. Há muitos indignados, perplexos com a idéia de que tudo vai terminar sem suas pobres listas de obrigações estarem riscadas por completo. Chamam de injustiça o fato de o tempo não ter esperado por eles. Ora, essa tal justiça não existe, nunca existiu. Tudo não passa de pontos de vista, ou, se preferirem, egoísmo. O que é certo ou errado, pra mim, sou eu quem busco. Sempre foi assim. Vai ser até o fim.”

Gustavo Ferreira, 19.

|||


Que os Maias estejam errados, mas vai que eles acertaram... Para estas doze pessoas, doze meses mais para viver, mudar, sentir, fazer... Como no ano passado, o Etc abre seus trabalhos em 2012 com palavras de amigos leitores (inclusive eu mesmo), uma forma de agradecer seus comentários, suas divulgações e suas simples visitas a um dos meus textos. 2012 começou e, seja lá quando terminar, esse blog vai seguir firme e forte, até o fim. Do ano ou do mundo. 



2 comentários:

Thaís disse...

Amor, sonho, paz... quanta coisa a gente espera do suposto "último ano"... será mesmo que esperamos que seja o último? Será que todas essas palavras que inspiram parágrafos inteiros, posts inteiros, não são o nosso fôlego, essa vontade doida de viver mais do que nunca? Seja como for, que continuemos almejando amor, sonho, paz... que a gente nunca se contente com o fim. Parabéns a todos pelo texto!

Joseana disse...

Me identifiquei com as palavras de Amanda Campelo, muito bom!