domingo, 8 de maio de 2011

Linda Rosa


Posta em meu caminho para ser a luz, te vi antes de saber ver, linda Rosa, feliz, sorrindo para mim o sorriso mais sincero. Eu te vi soberana, plena, viçosa, com o rosto orvalhado pelas lágrimas brilhantes de um puro e honesto sentimento, que me inundou de vida. O choro que chorei, na verdade, era uma gargalhada disfarçada de primeira respiração. Meu peito não doía pelas primeiras dilatações, mas pelo excesso de gratidão, que eu ainda não sabia como expressar, a não ser com gritos. Gritos de exaltação.

Ah, mas eu fui acolhido em seu  seio, linda Rosa, e aquele calor me trazia mais do que conforto Me trazia segurança, certeza de que eu nunca, por maior e mais desgarrado que fosse, eu nunca sairia dali, e sempre o seu abraço seria o meu abraço. Mas eu tinha pernas, precisei aprender a usá-las. Mas nunca estive sozinho. Era como se, ao ensaiar os primeiros passos, eu tivesse como objetivo as suas pétalas, linda Rosa, e eu precisava, vitalmente, chegar a você. Sempre cheguei. Chego até hoje.

Quanto mais eu crescia, mais eu entendia que eu lhe devia muito mais do que eu poderia imaginar. Meio acanhado, você me fazia levantar a cabeça, sem esquecer de olhar a quem estava no mesmo chão que eu. Meio temeroso, era você que me dizia “vai”. Meio descrente, era a sua voz, em qualquer lugar que eu estivesse, que me dizia para apostar no futuro. E, não há dúvidas, você pode nunca me confessar, porém eu sinto que, de todas as portas que se abriram para mim até hoje, você tem a chave de metade delas, linda Rosa. No mínimo.

Eu caí muito, linda Rosa, você sabe disso. Quantas vezes eu reclamei, julguei mal, falhei? Quantas vezes você me repreendeu, e eu não compreendia? Era só para não deixar meu sorriso se esvair em decepções, em frustrações que, com o tempo e sua ajuda, fui aprendendo, são mais comuns do que eu pensava. Sua experiência vasta começou a me dar chão, base, serenidade. Valores como honestidade, personalidade, afeto... Com quem mais eu poderia aprender, se não fosse com você?

E como se não bastasse ser a minha passagem para a vida, ainda me destes companhias na caminhada. Só você, calculista, poderia prever de quem eu iria precisar para me acompanhar durante a vida. Fui o último, e tive sorte. Encontrei por aqui um homem que daria a vida por mim, assim como você. Encontrei um amigo, a quem chamam de irmão, um parceiro. Um berço lindo, perfeitamente imperfeito, como só você, linda Rosa, em sua sabedoria infinita, poderia me dar.

Sabe, eu hoje sou um homem de caráter, e devo muito disso a você. Toda a bondade que eu tenho no coração, a obstinação, a justiça, o dom de sonhar e de traçar objetivos, eu recebi de você, como um presente. Presente ainda menor, do que o primeiro, o de me trazer à luz do mundo. Eu guardo hoje, e sempre guardarei, a sua imagem como aquela que me fazia andar, há muitos anos. Lembra, mãe? Eu nunca esquecerei. Em qualquer momento, em qualquer lugar, será você a flor que brilhará mais forte no meu jardim. Minha flor soberana. Linda Ana. Linda Rosa.



Um comentário:

Rafael disse...

Pow cara! Muito lindo o texto!!! Feliz dia das mães!!! E um bju à todas as "lindas Rosas" q nos deram a vida!!!