quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Dois anos depois

C
omo o tempo passa. Já se foram dois anos e, agora, eu vejo o quanto o mundo era diferente quando eu cheguei por aqui, tímido, acanhado, como uma criança que entra na sua primeira escola. Nesses dois anos muita coisa mudou. Eu mudei, nós mudamos. Manias deram lugar a outras, sonhos viraram realidade, viraram outros sonhos. Concretizações, tropeços, erros e acertos, que marcaram os últimos meses, que parecem poucos para a história, mas que significaram muito nas nossas vidas.
23 de fevereiro de 2009. Barack Obama acabara de sentar na cadeira mais importante do mundo. Negro. Presidente. Os Estados Unidos deram um passo largo contra seus próprios preconceitos. O mundo se recuperava da crise de meses atrás – a mesma crise que muitos outros países ainda lutam para superar. Lula comandava o país, já esquentando a cadeira para a sua sucessora. Isso mesmo. SucessorA. Nunca o país esteve tão perto de ser comandado por uma mulher.
23 de fevereiro de 2009. O campeão brasileiro ainda era o São Paulo, e Adriano ainda não era a contratação mais badalada do ano. Naquele dia nós ainda não imaginávamos que o futuro não seria nada promissor em solos africanos. A memória de 2006 ainda era a última mancha na camisa canarinho. Bolt era a sensação, Kaká jogava em Milão, e Belém ainda tinha esperanças de ser sede da Copa. Rio 2016, ainda um grande sonho. Fevereiro, carnaval. O último pré-rebolation. Cores? Ainda eram apenas cores, não motivos de tantas polêmicas. E fazenda era apenas um lugar onde se criavam animais. Hoje é lugar onde criamos celebridades. Ou não.
23 de fevereiro de 2009. O Rei estava vivo. Mas não deixa de reinar entre seus fãs no mundo todo, aqui, no céu, na lua. Luas. Saturno tinha uma a menos. Bruno era apenas um goleiro famoso e competente, Lady Gaga estava começando a mostrar suas garras, e o maior sucesso do nosso cinema ainda era Dona Flor. Avatar era um projeto revolucionário, e Tiririca não passava de um piadista famoso. O Brasil não sabia o que era uma tragédia natural tão avassaladora, viajar de avião para a França era uma simples viagem para a França, e não uma lembrança do acidente que ninguém viu.
23 de fevereiro de 2009. Nem imaginamos que o Brasil se renderia ao sucesso de um jovem jogador, tão polemico quanto talentoso, ao lado – e por causa – de um paraense papa-chibé, cuja técnica encantou o país do futebol. Nem imaginávamos que o Rio seria palco de uma guerra. Talvez nós imaginássemos sim. Mas, por hora, a paz venceu. Paz. Coincidência ou destino, muitas semelhanças entre ontem e hoje. 23 de fevereiro de 2009, eu comemorava a realização de um grande sonho. 23 de fevereiro de 2011, e eu aqui estou, comemorando mais uma vez, outro grande sonho. O maior sonho. Há dois anos atrás eu estava quase careca e, hoje, também.
E aqui chegamos. Eu, você, o país, o planeta. Somos comandados por uma mulher, que fez história, com a ajuda de 55 milhões. O mundo vive mais preocupado com as pessoas, Ronaldo não é mais o Fenômeno dos gramados, Mubarak não manda mais no Egito, o petróleo é a grande incógnita dos próximos anos, e a mineração começa a escrever um novo e, esperamos que seja, mais seguro amanhã. Os mineiros abençoados, sob o solo do Atacama, chamaram a nossa atenção. Chamou-nos à vida. Vida que ainda nos reserva muito para os próximos 2, 20, 200 anos.


23 de fevereiro de 2009. Começava a história deste blog, que cresceu, fugiu do meu controle, e que hoje se tornou mais que um simples site; uma diversão. E é isso que eu tento levar a todos vocês, leitores, a cada texto, a cada palavra. Hoje, 23 de fevereiro de 2011, o Etc&tal completa 2 anos muito bem escritos, com o apoio de amigos de verdade, blogueiros ou não, que me ajudaram, de alguma forma, a construir todos os 165 capítulos produzidos até hoje por aqui. Um blog que abriu portas, ampliou horizontes, alimenta sonhos. Sonhos que frutificam, criam galhos... Mais um projeto, o Etc N, que nasce para informar. Nasce deste mesmo Etc&tal, que há dois anos não passava de mais um blog.
Neste 23 de fevereiro, eu não poderia fazer outra coisa, a não ser agradecer a todos os que, pelo menos uma vez, passaram por aqui para ler, sorrir, chorar, opinar, criticar, me contemplar com a sua presença. Mais um ano nos espera, dois já foram. Outros muitos, com certeza, ainda virão.


E essa é a versão final do vídeo de aniversário do Etc&tal, feito com carinho, para homenagear a cada um dos seguidores, leitores, amigos, que compartilham deste projeto comigo, da melhor maneira possível: lendo. Obrigado a todos, e que esse seja apenas o começo de uma grande história. Bem-vindos ao ANO 3 do Etc&tal!

Um comentário:

Gu Paiva disse...

Caraca! Quando meu blog fez 1 ano fiquei tão feliz. Imagina vc, que já está no segundo ano! SUCESSO! *-*