sábado, 22 de janeiro de 2011

A suprema felicidade

2
1 de janeiro de 2011. Um dia que tinha tudo para ser uma sexta-feira comum. A não ser por um detalhe: um sonho estava em jogo. Um sonho que começou há muito tempo, exatos 18 anos, 7 meses e 18 dias. Nascia um jornalista por opção. Hoje, tanto tempo depois, tantas tentativas depois, tantos tropeços depois, um choque. Um estalo. Um nome lido. Um sorriso.
Quando o rádio falou, em alto e bom som, o que por noites eu tanto esperei... Voltei a ser um menino. O menino que deixava os desenhos de lado, para assistir telejornais, encantado com o que não entendia, mas sentia. O menino que chora, quando, incontrolavelmente, sente que o mundo sorriu para ele. Incontrolável. Chorei.
Descarreguei lágrimas de alegria. Mais um pouco. Lágrimas de quem sofreu insucessos, lágrimas cheias de auto-desconfiança, cheias de certezas erradas. Lágrimas que pesavam uma vida inteira. Nem os melhores sonhos se aproximaram da beleza de ser aprovado. Então, finalmente, às onze e meia da manhã, começava o dia mais feliz da minha vida. Alô alô, papai e mamãe puseram a vitrola pra tocar, soltaram foguetes... Passei no vestibular.
Venci. Venci de novo. Deus talvez tenha reservado para mim mais do que eu pudesse imaginar ou merecer. Da primeira vez a alegria foi incontável, única, claro. Mas dessa vez foi diferente. O choro foi diferente, os abraços, o orgulho. Tudo. Serei sempre grato à Universidade que me abrigou, me acolheu, e onde eu conheci pessoas, conheci mais as pessoas. Encontrei amigos de uma vida toda, encontrei a mim mesmo. Encontrei o amor. Na UEPA eu vivi, desde 2009, os melhores anos da minha vida. Porém, hoje foi diferente. Eu construí um caminho e, a partir de agora, a porta que faltava se abriu. Um mundo inteiro me espera, o meu mundo me espera.
Só isso já seria o bastante para fazer um dia inesquecível. Mas Deus estava de ótimo humor, e deu de presente a mim mais duas alegrias sem medida. Eu tive o privilégio de comemorar as vitórias dos meus dois melhores amigos, cujas lutas eu conheci, e cujo merecimento eu nunca discuti. Um, garoto iluminado, que eu tenho certeza que não consegue mensurar ainda o que virá depois de hoje. O outro, irmão de infância, um lutador que superou insucessos, soube esperar, e hoje comemora. Esperamos. Se as linhas são tortas, hoje eu não sei, mas que Deus sempre acerta no que escreve, disso eu não duvidarei jamais.
A voz embargada do meu pai, o choro da mãe, o abraço dos amigos, o beijo do grande amor. Cada pequeno gesto desse dia incrível vai ficar marcado. Nas memórias de quem o viveu, na memória de quem por isso almejou desde sempre. Se alguma vez eu disse que tudo passa, hoje eu vejo que me engano. Ao contrário de mim, dos meus amigos e dos milhares de extasiados e anestesiados calouros, nada do que eu tive o prazer de viver nesse 21 de janeiro, nada disso passará.
Pego o título de um filme de Jabor, pois é o que melhor explica o inexplicável. Meu coração se tornou pequeno, gigante. Realizações, sucesso, vitória. A partir de hoje, se alguém me perguntar se eu sei o que é ser feliz, com muito orgulho no peito, eu me sinto pleno e seguro para responder o que poucos podem: sim, eu SEI!


"Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer" - Gandhi


-----
Com esse texto, eu gostaria de parabenizar a todos que conseguiram esse êxito sem medidas, principalmente aos meus amigos, que sentiram o mesmo gosto da vitória. Robson, Marcos, Raoni, entre outros. Além disso, gostaria de agradecer a todos, indistintamente todos os meus parentes e amigos, que me apoiaram, confiaram em mim, mesmo quando nem eu confiava. Me deram força, esperança, conforto. Sustentaram o meu sonho, alimentaram minhas chances, mostrando um futuro. E hoje puderam comemorar comigo, presentes ou não, a minha aprovação. A vida está só começando.

2 comentários:

Kássia Camila disse...

Felicidades pra vc!!!
Realmente passar no vestibular é um
momento único e inexplicável só de ouvir
a musica me arrepio toda e lembro da minha vitória!!
Até hoje o papai tem as minhas fotos no orkut acredita?!kkkkkkkkkkk Cômico.E já se passaram dois anos.
bjo0s

Robson H. disse...

Pow muleq...a emoção desse texto
é inegável...fui às lágrimas...
Só a gente sabe o que ouvir alguém
falar teu nome no rádio e saber q
o sonho enfim se realizou...
Um novo horizonte se projeta diante
de nós, novas oportunidades, desafios.
E sei que poderemos enfrentá-los, pq
Deus nos acompanha e nos guia para
a vitória.
Abração irmão...merecemos. Merecestes!