quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Topetes



Achar que não precisa de nada nem ninguém pra ser feliz, desprezar qualquer ajuda, botar seu orgulho na frente de tudo, ter um carro vermelho e não usar espelho pra se pentear. Sinais típicos de soberba, exercícios de arrogância e falta de humildade que, acreditem, não faz parte apenas do mundo dos ricos e famosos, mesmo sendo ligados a eles. O soberbo não consegue reconhecer nada que possa ter lhe ajudado vindo de qualquer outra pessoa, por ser auto-suficiente, supremo demais pra perceber uma coisa que todos sabem: ninguém pode ser auto-suficiente nesse mundo. Será que somente eles ainda não perceberam que não dá pra viver sozinho?

Ah, a imagem, sempre a imagem prevalecendo, claro, ela hoje vale mais do que mil palavras, vale mais até do que mil reais. E ostentar é um verbo dos mais falados nesses tempos. Donos de uma pose sem proporções, muita gente rica por aí acha que pode mais do que qualquer outro por ter apenas mais dinheiro na conta ou mais camisas de marca no closet. Ao menos essas pessoas tem o que mostrar, levando vantagem sobre aquelas que mostram aquilo que não tem, e isso é bastante comum. Nas rodas de amigos importantes, de gente que interessa, você tem que se adaptar, mesmo que para isso você precise mudar sua identidade, e isso pode ser muito custoso, a ponto de famílias simples se enforcarem e jovens entrarem para o crime por terem o luxo de usar um tênis de marca e ser incluído na galera. Vale a pena?

E quando eu disse que a soberba não é exclusiva das classes altas, eu quis dizer que o orgulho não escolher classe, nem é necessariamente menos evidente em pessoas mais ou menos ricas. Pessoas que de humildes só tem a origem se recusam a admitir que precisam de ajuda, seja financeira ou material, e preferem outros meios de conseguir o que precisa sozinha, como se isso existisse. Ninguém consegue nada sem o próximo, todo esforço é coletivo, mesmo que satisfaça apenas uma pessoa. E os soberbos continuam sem entender.

Narcisistas, egocêntricos e extremamente frescos, muitos se amam mais que a qualquer outra pessoa, se adoram, se arrumam pra si mesmos, e vivem como se tudo girasse em torno deles. Nascido pra brilhar, esse tipo de pessoa se exibe, se mostra, faz boa propaganda, se diz único. Até aí tudo bem, somos mesmo diferentes um do outro, o problema é que essa suposta exclusividade pode se tornar maléfica, quando se olha alto demais e acaba-se pisando em muita gente. Porém muitos nem tem inteligência suficiente pra isso.

A presunção pode ser um ato divino, também, que ironia! Quando ouvimos em uma missa Jesus dizendo que é o caminho, a verdade e a vida, aí também não rola uma pitada de soberba? Enfim, antes de qualquer discussão religiosa, o fato é que a soberba é um dos pecados mais sem fundamentos que existe, pois existe sobre um argumento tão furado. E além disso, é um pecado genuinamente infernal, pois Lúcifer tentou Jesus ostentando riquezas e uma vida boa. Cuidado, soberbos! Quem busca adoração ainda acaba num tremendo ostracismo, e esse sim é um baita castigo.

Nenhum comentário: