sábado, 28 de agosto de 2010

Imaginar e colher

Não há um momento em que nossa mente pare de funcionar, isso é cientificamente comprovado, todos nós sabemos. Assim como sabemos também que muitos não a usam para bons fins, porém o mais importante é cultivarmos essa horta chamada imaginação, a mais preciosa, para que os frutos colhidos sejam, em sua maioria, bons. Alguns podres vem, é natural, basta sabermos separá-los dos que prestam. E olha que muita gente por aí não sabe, e pior, só colhe coisa ruim.

O poder da nossa imaginação é muito maior do que temos idéia, ela é a responsável por muitos dos bons momentos, dos resultados mais vitoriosos, das surpresas mais gratificantes que podemos curtir na vida, e o melhor disso tudo é que ela só depende de nós pra funcionar. Muitas das grandes revoluções da história da humanidade surgiram a partir de cabeças que não aceitavam mais o sistema em que estavam inseridas, a partir de olhos que se cansaram de ver o que viam. Estes momentos são os mais propícios ao pleno funcionamento dessa maquininha chamada cérebro, são vários pensadores jorrando de fontes abertas, que se disseminam por vários lugares, transpassam barreiras temporais e dão resultados. Bons, nem sempre, mas pelo menos fizeram seu barulho.

Voar! Um desejo de muitos, uma idéia de poucos. Ícaro tentou, Dumont conseguiu, com engenhosidade e astúcia, digna de alguém que tentou se jogar aos ares, como pássaros livres. Prova de que o que pensamos pode se tornar real, contanto que se aliem as nossas idéias a coragem e a determinação. Sonhos que se transformam em realidade por mãos e pés que não apenas sonham. Fazem. Escalar o Everest, quem em sã consciência se imagina lá no alto, no ponto mais alto? Somente pessoas que sempre acharam que há para onde subir além do topo do Everest. Para esses, se o céu era o limite, por que não chegar lá?!

A nossa imaginação pode nos levar ao Everest ou ao Havaí, voando ou em um conversível, com a mulher perfeita ou com aquele tênis do momento, tanto faz, o que importa é que ela é nossa, e nos nossos sonhos ninguém entra e mete o seu bedelho. Falamos o que não conseguimos, fazemos o que nos falta coragem para fazer, damos fora sem levar, ganhamos sempre, como isso levanta a auto-estima dos tímidos por aí. Experiência própria. Também nossa mente nos diz o que queremos fazer dali pra frente. Que caminho seguir? Com que roupa eu vou? Ensaiamos nossos atos para não falharmos, em uma entrevista de emprego ou em um pedido de namoro. Podemos ir muito longe com o poder do pensamento, com ou sem destino final.

As idéias são o primeiro passo para grandes realizações, e para algumas falhas de conduta também. Há aqueles que são responsáveis por grandes golpes, nocivos a muita gente, mas eficazes. E eu não falo – somente – dos nossos ilustres políticos e afins, seria até redundante. Fugas, seqüestros, roubos, tudo isso também requer um trabalho mental considerável, ou você acha que o maior assalto do Brasil foi fruto do acaso? Inteligência, quando se une a um ideal (duvidoso, no caso) e a desvios de caráter resultam em atrocidades, os frutos podres dessa tão fértil horta.

Entretanto, como eu disse e como eu ainda acredito, os frutos vindouros são ainda a maioria absoluta. Clássicos do rock, grandes filmes, obras literárias ímpares, graças a mentes que nunca paravam de funcionar, como as nossas, e ao talento de indivíduos capazes de revolucionar, encantar, estontear a quem vê, ouve, lê. Famosos pensadores, pensadores como qualquer um de nós, que somos capazes de cultivar um dos nossos bens mais preciosos: a imaginação. Plantação fértil, que só nós cultivamos, muito, pra falar a verdade, mas buscando os melhores frutos. Dessa horta iremos colher até o fim da vida, cabe a nós escolher o quê.

Nenhum comentário: