sábado, 12 de junho de 2010

Perfeitos imperfeitos

Típico fim de semana pra curtir em casal. Aliás, era mais do que um típico fim de semana de casal. Era nosso “mesversário”, 7 meses, ainda tinha muito amor pra queimar entre a Mel e eu, tava tudo muito perfeito. E antes de levá-la pro jantar que eu prometi pra nós, passei no apê dela com um buquê de margaridas, as flores preferidas dela. Quanto romantismo! (Pode fazer o “bleergh!”, eu entendo). Tinha tudo pra ser uma noite linda...

Quando ela abriu a porta, e viu toda a minha sincera disposição em agradar, com o presente que mulher nenhuma recebe com, no mínimo, um beijo caloroso. Eu esperava até mais do que isso, confesso, mas eu esqueci de um pequeno detalhe feminino: elas são imprevisíveis!

- Flores, amor? Que lindo!

Ali eu logo pensei: “Deu certo”. Confesso que, antes daquele dia, só dei flores a uma pessoa na minha vida toda. Minha avozinha, coitada, antes de ser enterrada. Depois ela me beijou, e não pensei em mais nada.

- Que bom que você gostou, amor! Acertei nas flores, pensei em você! – mandei, vendendo meu peixe.

- Nossa, que presentão, eu não esperava tanto de você, juro.

Isso é o tipo de coisa que mulher NENHUMA deve dizer ao parceiro depois de receber um presente tão (modestamente) especial. Com uma cara de “hã?”, retruquei:

- Ah, quer dizer que eu não seria capaz de lembrar de você numa hora dessas, Mel? Valeu mesmo!

- Ô, não quis dizer isso. Só achei...meio...diferente, Nando. Mas eu amei!!!

- Poxa, menos mal. Eu encomendei essas flores há mais de 15 dias...

Antes de terminar, ela entrou, com uma voz meio alta:

- Por quê? Você ficou com medo de esquecer, como fez no mês passado, Fernando?

Dois sinais fortes de uma possível DR: percebam, não é nóia masculina, mas mulher adora jogar na cara alguma mágoa passada. Tudo bem, vacilei, mas precisava lembrar? Pra ela, sim. Outro: o nome completo. Só quem me chama de Fernando é a minha mãe quando eu monopolizo o banheiro na hora do banho.

- Mel, claro que eu lembraria desse nosso dia, e eu já pedi desculpas pelo mês passado – respondi, preparando a bela desculpa pra dar em seguida – , eu tava muito ocupado com a facul, amor.

-Como sempre! As vezes eu acho que você me deixa de lado pensando nessa droga de faculdade. Pô, Nando, você ultimamente nem liga mais pra mim! – ela disse, com a voz levemente (e estrategicamente) embargada.

Fiquei muito confuso nessa hora, porque ela é a pessoa que mais me incentiva a continuar na faculdade de jornalismo, e eu ligo pra ela sim. Agora explica!

- Amor, deixa de ser injusta que eu nunca te esqueci, te ligo todo dia, te vejo quase todo dia, marquei um jantar lindo pra gente hoje. Pra isso você nem liga.

- Tentando me comprar de novo com jantarzinho, Nando! Ah, fala sério!

- Mas é nosso “mesversário”, Mel, poxa! Fiz esse dia só pra nós. E a gente aqui perdendo tempo nessa briga.

Ela, mais uma vez tentando me derrubar, retrucou:

- É, você odeia ouvir a verdade mesmo, né, Nando? Impressionante!

Impressionante é como a Mel sempre consegue me deixar irritado. Vocês estão de prova de que eu tentei começar uma noite especial, mas ela quis começar uma discussão... De novo eu vou tentar amansar a fera:

- Mozão, me escuta pelo menos um minuto, por fav...

- Ah, eu não te escuto, Fernando? – Lá vem ela com “Fernando” de novo. – Eu sempre te escuto, e a gente nunca se entende, que saco!

Já bem cansado dessa discussão, esqueci o carinho:

- Olha, Mel, caramba, eu vim aqui pronto pra te dar uma noite muito legal, trouxe flores, marquei um jantar mais caro que o meu carro, vim te buscar, te fazer uma surpresa, e assim que você me recebe? Muita injustiça tua!

Acho que aí eu consegui mexer com ela. Torci muito pra isso, aquela noite tava tomando rumos trágicos. Então ela, mais calma, respondeu:

- É, amor. Pensando bem... Vamo brigar mais não, tá?! Ah, e o jantar? Estamos atrasados?

Mesmo tendo gasto uns 20 minutos nisso, o restaurante ficava perto de lá, então disse o que NENHUM homem inteligente diz a uma namorada antes de levar ela pra algum lugar:

- Relaxa, amor! A gente ainda tem tempo.

(Sabe quando você diz alguma coisa e se arrepende um segundo depois?)

- Ótimo, mô! Deixa eu terminar de me arrumar então, tá? 10 minutinhos.

(Já tinha me arrependido).

Quando eu cheguei com as margaridas, eu lembro dela estar com um vestido vermelho e batom, o que, pra mim, já tava ótimo (ela é linda, isso colabora). Como ela ensaiou um choro na DR, eu entendo que ela precisava retocar o make, mas de resto ela tava pronta pra entrar em qualquer restaurante francês. Entretanto eu burlei uma regra inviolável de conduta masculina com mulheres: nunca, absolutamente NUNCA interrompa a sua namorada quando ela estiver se arrumando pra sair com você. Isso pode (ou melhor, VAI) te custar muito tempo. Belo exercício de paciência.

Preocupado com a reserva e com as DUAS HORAS de atraso, chamei ela, da sala, o que não me exigiu um tom de voz baixo:

- Vamo, amor!!!

De uma hora pra outra, com um sapato diferente em cada pé e o cabelo ainda em construção, volta uma mulher soltando fogo pelas ventas em minha direção, esbravejando:

- NÃO GRITA COMIGO!!!

Como continuar gritando com um pedido tão...é...sutil desses, me diz?

- Desculpa, Mel, foi mal mas a gente tá atrasado pra reserva, faz duas hor...

- Ah, quer dizer que você só pensa no jantar, e eu posso ir que nem uma mendiga? Tá vendo só, cê não liga pra mim mesmo, seu insens...

Por mais que ela tivesse adorando aquele momento, eu não agüentava mais. O jeito foi partir pro plano B: se não conseguir terminar a DR no papo, termina no beijão. Alguém tinha que acabar com aquilo, e eu tinha que ganhar a briga. Pô, eu levei as flores. Aquela noite tinha que ser de festa. O jantar? Ah, dane-se. Naquela altura, nem se a gente quisesse sair do apê o jantar ia rolar. Ah, as pazes. A melhor parte de qualquer DR. Tinha tudo pra ser uma noite linda... e foi. De um jeito bem “namorado” de ser.













(3 meses depois a gente terminou, o beijão não funcionava mais. Mesmo assim a gente continuou se vendo, saindo juntos...ficando... ficando... Hoje nós estamos fazendo 7 meses. De novo. Ela tá aqui em casa, fiz um jantar especial pra ela. Só espero que ela não leia isso aqui. Se ela ler... vocês já sabem. Mas não tem jeito, dá pra tentar fugir do amor?)