sábado, 3 de abril de 2010

Ressuscitar

Estamos vivendo aquele que parece ser o período mais importante não somente para a Igreja Católica, mas para o cristianismo como um todo. Todos nascem, isso é fato, porém, morrer por um povo inteiro e voltar, ainda por cima, não é pra qualquer um. É pra apenas Um. Vivemos a Páscoa, que antes de ser entendida como apenas o domingo onde nos empaturramos de chocolate e falsos valores, é – ou pelo menos deveria ser – a semana ideal para podermos parar um pouco e refletir sobre o que somos, onde estamos, o que fazemos e o que deixamos de fazer. Nosso tempo fez tudo isso se transformar em idealismo, utopia, missão impossível. Pra muitos esse é apenas o feriadão onde se come chocolate, mas há exceções. Deve haver.


O significado maior desses dias foi se perdendo por difusão. Difusão de novas mídias, difusão de novos costumes, difusão da alienação. Quem liga que na Páscoa é comemorada a ressurreição de Cristo?! Quem liga pras Sete Palavras?! O que importa mesmo é o feriadão, claro.Dois dias de folga, que beleza! Eu mesmo comemoro, não por falta de dias facultativos – no Brasil chega a ser ingratidão reclamar do calendário – mas por falta de tempo livremesmo. Entendo perfeitamente o espanto nos rostos da mminha mãe, da minha vó e das outras pessoas que são do tempoem que não se admitia um sussurro durante as 3 horas da agonia. Agonia das famílias que, por falta de esforço ou dequalquer outra coisa, não consegue aproveitar o que de mais útil esse fim de semana oferece: a oportunidade de reunião, de reflexão, de acertos. A família deixou de ser prioridade pra grande parte das pessoas, majoritariamente dos jovens, que não veem razão nenhuma para ficar presos em casa, numa obrigação “penosa” de de rezar ou, simplesmente, estar com seus parentes. Com internet e amigos com casa na praia, realmente a família vira obrigação. Quem diria!

Hoje é, de certa forma, perigoso – eu diria – a recomendada reflexão familiar. A intenção d e se entender como pessoas e como instituição que ainda tenta se manter forte cai por terra, em alguns casos se tornando pura e banal lavagem de roupa suja. Mas isto não deixa de ser necessário. Acredito que não somente se tratando de família, e sim de mundo como um todo. Todos nós precisamos rever nossos valores, descobri-los, reconstrui-los, mudá-los. Hoje pode começar em casa e, se os resultados forem positivos, por quê não continuar esta tarefa fora dela? A sociedade precisa de uma análise. Princípios como solidariedade, confiança, respeito, honestidade, tão esquecidos e afastados – infelizmente – da lista de prioridades dos homens (homem = raça), precisam ser lembrados e, mais que isso, praticados. Só lembrando que o Dia da Mentira acabou faz tempo.

Quanto mais a humanidade me espanta, mais eu acredito com força que nós precisamos de uma ressurreição. Não só a essência do período pascal, mas as essências da vida estão sendo perdidas, preteridas pela nossa geração 3D e, cada vez mais, nós estamos precisando nos reciclar, renascer. Renascer mentalmente, renascer sentimentalmente, renascer na família, no trabalho, na escola, universidade, enfim. Renascer espiritualmente. E se ainda achamos que precisamos de exemplos, o maior de todos está sempre perto – nesses dias ele é mais evidente. Nada de discursinho religioso, é apenas uma constatação. De que a sociedade deve seguir exemplos, precisamos deles, de estímulos de algum lugar. Aproveite esse domingo não só pra aumentar a sua massa corpporal mas, principalmente, pra aumentar sua massa essencial. Reveja seus valores, aproveite sua família, peça, agradeça, renasça. Ressuscite.

Um comentário:

Maila disse...

Perdi meu ID do sapo omg! mas ainda tenho a conta do google :D
oks,bom aceita criticas ou sugestões de uma leitora?
Sugestão: ( n sei se existe uma caixa onde jogar as sugestões que seraão ignoradas por esse blog mas vai aqui mesmo )
Não que você escreva coisas coesas,mas se tiver algum conto por ai e queira postar eu agradeceria. *-*
Comentário:
O que eu acho sinceramente é que nem todas as pessoas são cristãs,nem todas as pessoas mesmo cristãs tem a mesma filosofia de vida,pra uns páscoa é só uma celebração como o natal em que você aproveita pra se jogar junto só pela festa,no fim todos sabem exatamente o significado só não faz diferença,pra outros que levam a sério,bom eles levam a sério e ponto.
eu por exemplo fiquei indiferente em relação mas todo chocolate é bem vindo.
Samaila Matos.