terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Malucos Beleza

Pra você, o que é loucura? É andar pelado pela rua, gritando "EUREKA!!!"? É assitir um jogo de futebol na torcida adversária, com a camisa do seu time? Falar ao celular nas ruas de Belém? Casamento? Tudo bem, pode ser tudo isso sim, afinal, loucura é algo individual. O que parece loucura pra uns é só um jeito de ser feliz pra outros.
A imagem de loucura que nós todos temos é, claro, a de um manicômio, cheio de gente se achando "Napoleão", como a história e as novelas vendem a imagem do doido. Mas, tentando ver a coisa sem preconceitos, a gente se perde em relação ao conceito, ao que vem a ser, de fato, a loucura. O que faz uma pessoa ser taxada como louca? Seu comportamento, digamos, excêntrico, diferente, em relação ao resto das pessoas? Em alguns lugares essas pessoas ganham novas alcunhas: socialite, por exemplo. Ah, na minha terra se aprende que o normal é ser íntegro, honesto. Não, não moro na ilha de Lost, não! Mas pra mim quem rouba sai do comum - ainda que eu comece a duvidar disso, eu moro no Brasil. Com base nisso, os nossos nobilíssimos políticos não mereceriam uma estada na machadiana Casa Verde?  E a torcida do Corinthians?
Por mais que se tente, a loucura não tem uma fórmula, apenas recebe um rótulo às vezes bem confuso. E segregador. Ser louco hoje é sinal de desprezo. Se você anda na rua com a cueca por cima da calça, cuidado! E por que diabos ninguem prendeu o Super Homem numa camisa de força? Status? Ah, o famoso status. Quando ligado ao dinheiro, faz qualquer louco virar anjo num estalar de dedos. Cifrões fazem milagres! Quanto aos ditadores...bem...deixa pra lá! Sou louco, não burro!
De acordo com o dicionário Houssais, a loucura pode ser definida como “distúrbio ou alteração mental caracterizada pelo afastamento mais ou menos prolongado do indivíduo de seus métodos habituais de pensar, sentir e agir". Então, podemos dizer que a loucura é relativa? Devemos. Tudo depende dos hábitos e de como os perpetuamos e seguimos. Caro empresário, fique tranquilo, pois você nunca será louco... por mais que seu trabalho o deixe assim. Que ironia! Loucura é fugir do comum, é fazer o diferente, o inusitado, loucura é pensar no resto de mundo do lado de fora da nossa janela? Pra mim, isso era só criatividade. Se for isso, qual é o problema em ser louco? Há problema em ser diferente? Poucas sensações são tão revigorantes pra nossa alma do que descobrir o novo, explorar, se permitir. É tão chato ser chato! Deus nos deu raciocínio e movimentos pra nos fazer ir sempre além. Além do que pensamos, além do que fazemos, além do que somos. Por que não ir? Quem sabe, a solução ideal pra nós não é se tornar, pelo menos por um dia, Malucos Beleza, como Raul?!



"Às vezes não sei se o louco sou eu ou se são os outros." Nem eu, Einstein!

Nenhum comentário: