quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Músicas Pra Pensar IV - Círio Outra Vez (Pe. Fabio de Melo)

"Quando a vida faz nascer o mês de outubro
Eu descubro uma graça bem maior
Que me faz voltar no tempo e ser menino
E ao som do sino ver a vida amanhecer

Ver o povo em procissão tomando as ruas
Anunciando que é Círio outra vez
Que a Rainha da Amazônia vem chegando
Vem navegando pelas ruas de Belém

Corda que avança, o corpo cansa
Só pra alma descansar
É o meu olhar chorando ao ver o teu olhar em mim
Tão pequenina na Berlinda segues a recolher
Flores e amores que o teu povo quer te dar

Ó Virgem Santa, teu povo canta
Senhora de Nazaré!
Tu és Rainha e tens no manto as cores do açaí
Soberana e tão humana tão mulher
Tão mãe de Deus
Nossa raça, nosso sangue
Descendência que acolheu
O mistério encarnado continuas revelando
E por isso hoje é Círio outra vez."

E a vida fez nascer, de novo, o mês de outubro! É CÍRIO outra vez! Feliz Círio!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Voo cego

A TAM Linhas Aéreas s.a., no último dia 23 de setembro, cometeu uma imensa grosseria. A TAM vetou um vídeo, produzido pelo Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, com apoio do Governo do Estado, sobre o maior evento do calendário dos paraenses, o Círio de Nazaré, que por contrato – no valor de R$ 136 mil – deveria ser exibido nas aeronaves da companhia durante o mês de outubro. O motivo: o vídeo continha, segundo a empresa, forte teor religioso.
O Círio não é somente um evento religioso. Trata-se de uma questão, acima de tudo, CULTURAL. A empresa TAM, ao praticar este ato de violência cultural, ofende todo um povo devoto, que respeita e homenageia Nossa Senhora de Nazaré. Com isso, fica clara a postura ignorante da companhia, revelando um desconhecimento – até mesmo um certo desprezo – da importância que o Círio possui para o povo paraense. O Círio de Nazaré, desde 2003, é considerado PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL do Brasil, pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). A TAM desprezou um Patrimônio Nacional. Pura falta de respeito e de informação.
Em reportagem vinculada no jornal O Liberal de 4 de outubro de 2009, a TAM tentou amenizar o caso: “Respeitamos todas as religiões, mas preferimos adotar uma postura neutra sobre o tema, uma vez que transportamos passageiros de diversas origens e crenças.” E qual seria o prejuízo de mostrar um símbolo da nossa cultura a pessoas de diferentes crenças? Exaltamos o Círio como manifestação cultural de Belém do Pará, assim como a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim representa Salvador, assim como o Cristo Redentor simboliza o Rio de Janeiro. Sim, ainda existe o velho e imbecil preconceito dos sulistas em relação a nós, amazônidas!
Somente quem vive o Segundo Domingo de Outubro em Belém pode descrever a força e a importância daquele momento. Desde setembro já se sente o clima da Festa pela cidade. Gastronomia, cultura, música, dança, turismo – que, por sinal, enriquece a própria TAM. Muito além do “forte apelo religioso” alegado pela companhia. Os dias que antecedem as procissões, a Romaria Fluvial, a Trasladação, o domingo do Círio. Como o domingo do Círio é mágico! Dois milhões de pessoas, mais do que a população total da cidade, se unem, milhares desses em uma corda, puxando com o máximo de suas forças uma berlinda, levando uma imagem de madeira, cerca de trinta centímetros, de um canto a outro da cidade, sob um sol tipicamente equatorial. Ali, por alguns momentos, desaparecem todas as estratificações. Não existem pobres ou ricos, negros ou brancos, homens ou mulheres. Ali, todos são o povo. Naquele esforço, naquela multidão, se materializa o mais humano dos sentimentos: a solidariedade. Pessoas que nunca se viram – e que talvez nunca mais se vejam -, por um momento, viram irmãs, unidas pela emoção, unidas pelo sofrimento. Unidas pela FÉ. E foi isto que a TAM vetou.
Porém somos maiores, somos mais fortes que qualquer empresa. Tal desrespeito não irá, de maneira alguma, abalar a nossa devoção, a nossa fé. Não diminuirá em nada a importância do Círio em nossas vidas. Muito pelo contrário. Servirá como estímulo extra para mostrarmos, cada vez mais, ao Brasil e ao mundo, o que o Círio de Nazaré é capaz de proporcionar a quem o vive.

Feliz Círio.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Sim, nós podemos!

Hoje, 2 de outubro de 2009, o mundo viu, de verdade, o Brasil como gente grande! Hoje, mostramos ao planeta que somos capazes SIM de realizar um evento de grandiosidade única como os Jogos Olímpicos. Hoje, demos o maior dos nossos passos na direção do respeito e da admiração plena da comunidade mundial. Hoje, definitivamente, nos colocamos entre os melhores!
O Rio de Janeiro vai receber, de braços abertos, centenas de milhares de pessoas, de vários planetas, de várias etnias,de várias crenças. Nada do que o nosso país já não ofereça. Atletas, jornalistas, autoridades internacionais, turistas. Os olhos dos 5 continentes se voltarão para cá daqui a sete anos. Sete anos de muito trabalho, de muitas mudanças e, espermos, de transparência. O legado que os Jogos deixarão à cidade será imenso e deverá ser preservado e usufruido por toda aquela gente que lutou com tanta paixão para trazer essa vitória.
As Olimpíadas serão no Rio, mas não são somente do Rio. Todos nós, os quase 200 milhões de corações aflitos e esperançosos, vibramos, lutamos. Vencemos. Vencemos as barreiras, os preconceitos e até mesmo os nossos própios medos. Será que somos capazes? Sim, hoje sabemos que sim! Mais o que isso. Toda a comunidade sulamericana venceu. Finalmente perceberam que fronteiras deveriam ser abertas. Outro exemplo está há poucos meses de se concretizar. Em 2010, a Copa Do Mundo desbravará terras africanas pela primeira vez. Assim como nós agora. Viva o esporte!
Pan em 2007, Copa do Mundo em 14, e agora as Olimpíadas de 2016. Em apenas nove anos, 3 grandes conquistas. Entramos na rota esportiva global, e com isso atingimos o grau máximo de confiança e respeito do mundo. Muitíssimo merecidamente, diga-se de passagem. Vencemos concorrentes grandes, fortes e bem apoiadas. Tóquio, Chicago, Madri. Vencemos na paixão, vencemos na emoção. Vencemos no coração.
Estamos no G-10 das economias mundiais, somos influência continental ( e, por que não dizer, global) estamos nos superando dos abalos da crise, somos confiáveis, somos fortes, somos grandes. E hoje ninguém mais duvida disso. Chegou a nossa hora!

Hoje, 2 de outubro de 2009, o Brasil provou ao mundo que é um gigante. Gigante pela própria natureza.